Plantas aromáticas – Alfazema

Lavandula-officinalis-Alfazema

Plantas aromáticas – Alfazema

 

Alfazema

As lavandas (popularmente conhecidas em Portugal pelo termo de origem árabe alfazemas) são pequenos arbustos de flores azul-violeta, perenes, incluindo também as anuais e os sub-arbustos. Medem de 30 a 80 centímetros e possuem um cheiro penetrante e bem aromático – principal característica da alfazema.

A Alfazema é uma planta medicinal, também conhecida como Lavanda, Lavândula ou Nardo, muito utilizada em uso interno para tratar a ansiedade ou o nervosismo, combater problemas de estômago, e em uso externo para desinfectar os ferimentos leves ou tratar alergias a picadas de insectos. Esta planta cresce espontaneamente em Portugal.

O seu nome científico é Lavandula angustifolia, e pertence à família das Lamiáceas.

Possuindo uma característica tão forte como o seu aroma, a alfazema acaba passando um pouco despercebida quando o assunto são os chás. O chá de alfazema é cheio de benefícios que merecem mais reconhecimento.

As suas flores são usadas para arranjos florais secos. As flores púrpuras e os brotos, de fragância suave, são utilizados em pot-pourris. Secos e embalados em pequenos saquinhos de tecido de algodão são utilizados para serem colocados entre as roupas do armário para dar-lhes uma fragrância fresca e agradável, e também para impedir a presença de insectos e parasitas.

O óleo essencial da lavanda (do latim lavare, “lavar”)  é obtido da destilação das flores, caules e folhas da espécie Lavandula officinalis. Entre várias substâncias, o óleo apresenta na sua composição o linalol e o acetato de linalila, que conferem a sua fragrância e, ainda, resina, saponina, taninos cumarinas.

As flores de lavanda produzem um néctar abundante que rende um mel de alta qualidade produzida pelas abelhas. O mel da variedade lavanda foi produzido inicialmente nos países que cercam o Mediterrâneo, e introduzido no mercado mundial como um produto de qualidade superior. As flores da lavanda podem ser utilizadas como decoração de bolos.

A lavanda também é usada como erva isoladamente ou como ingrediente da erva da Provence (França).

alfazema

Propriedades da Alfazema





As propriedades da Alfazema incluem a sua acção desinfectante, antisséptica, antiespasmódica, analgésica, cicatrizante, antiasmática, anticonvulsiva, ansiolítico, antiinflamatório e sudorífera.

Os constituintes do seu óleo essencial, linalol e acetato de linalila, têm propriedades antibióticas, sedativas e neurotónicas. A inalação dos seus óleos essenciais melhoraram a capacidade cognitiva e o humor em 144 adultos (Int. J. Neuroscience, 2003).

O óleo essencial aplicado na pele tem propriedades antisépticas (combate a bactéria da febre tifóide, difteria, Streptococcus e Pneumococcus), trata queimaduras, ferimentos, picadas, úlceras, previne as rugas e regenerador.

O óleo obtido das flores é ainda antiespasmódico e tónico, trata o mau-hálito, alívia as dores de cabeça e combate o carminativo (flatulência). Utilizado como antídoto de veneno de cobra.

Recomendada para nervosismo, insónias, problemas no sistema circulatório, dispepsia (indigestão) e falta de apetite.

Para que serve a Alfazema

A Alfazema  é um excelente relaxante, o chá alivia dores de cabeça, tosse e constipações.

Muito bom como primeiros socorros no alívio de queimaduras, quer em forma de compressas de infusão ou em gotas de óleo essencial.

Ferimentos leves, piolhos (essência para aplicar na nuca), acne.

Estimulante respiratório, a alfazema pode ser utilizada em aerossol em bronquites.

Ajuda a tratar cefaleias e facilita a digestão, especialmente se estes problemas se agravam com o stress ou ansiedade.

Em banhos, é um regenerador e calmante da pele.

A Alfazema serve assim para ajudar no tratamento de ansiedade e stress (melhorando a qualidade do sono), má digestão, alergia à picada de insectos, cansaço, problemas do sono, irritação gástrica, flatulência, colite nervosa, dispepsia nervosa, má circulação, hipotensão arterial e exaustão física.

Modo de uso da Alfazema

As partes usadas da Alfazema são suas flores, folhas, haste para fazer chás, óleo essencial ou para usar na culinária.



Habitat

Encostas, sebes, solos secos e rochosos, frequentemente em solos calcários.

Ciclo de Vida

Perene

Preferências de cultivo

O pH do solo não é limitante, consegue crescer em solos alcalinos assim como em salinos. Não se desenvolve à sombra. Prefere solos secos ou húmidos, tolera a aridez e a exposição marítima. Exposição solar é fundamental. Quando os solos são ricos tendem a desenvolver mais folhas e menos óleos essenciais. Deve-se regar o menos possível.

Forma de propagação

Sementes – semear entre Maio a Julho ao ar livre e de Abril a Junho em estufa. Amadurecem entre Agosto e Outubro

Características ornamentais

Floração de Julho a Setembro.

Descrição dos cheiros e sabores

Aroma e sabor doce, floral e canforado.

alfazema

Condimentares

As flores são utilizadas cristalizadas para aromatizar compotas, gelados, vinagres, saladas, infusões, sopas e guisados.

Infusão

Colocar 70 g de flores em 1 litro de água fervente durante 5 minutos. Coar e beber até 3 vezes por dia, após as refeições.A cor lilás suave invade-nos com o seu aroma fortemente perfumado. O seu sabor intenso revela-se ácido com notas florais.

Contra-indicações/ Efeitos secundários /Observações:

O principal efeito colateral da Alfazema é a sonolência, quando ingerida em excesso.

Não se deve aplicar os óleos essenciais na pele durante longos períodos de tempo porque pode causar irritações ou alergia. As folhas e as flores da Lavandula angustifolia possuem propriedades sedativas.

A Alfazema está contra indicada em pacientes com úlceras gástricas.

Pragas e doenças, como combater

Homoptera e fungos.

Como e quando se faz a colheita e/ou poda e quais as partes utilizadas. Quantos cortes por ano?

Partes utilizadas: folhas, pétalas e florações.

Poda: fim da floração.

Colheita: os caules de alfazema são apanhados imediatamente antes de florescerem. As folhas podem ser colhidas a qualquer momento.

Se pode ser usada em consociação (repelente/atraente) ou se é biopesticida.

Atrai polinizadores e repele ratos e ratazanas.





Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lavanda

http://www.tuasaude.com/alfazema/

http://www.criasaude.com.br/N3372/fitoterapia/alfazema.html

http://www.cantinhodasaromaticas.pt/loja/plantas-em-vaso-bio/alfazema-lavandula-angustifolia-3/

http://saude.sapo.pt/saude-medicina/medicina-natural/guia-plantas-suplementos/alfazema.html

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. claudia disse:

    Parabéns pelo texto. Muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: