Plantas aromáticas – Alecrim

alecrim

Plantas aromáticas – Alecrim

 

Alecrim (também conhecido como Rosmaninho)

O Alecrim é uma planta medicinal, também conhecida como Alecrim de cheiro, Alecrineiro, Alecrinzeiro ou Rosmaninho, muito utilizada no tratamento de problemas digestivos ou dor de cabeça, por exemplo.

Nome vulgar

Alecrim, alecrinzeiro, alecrizeiro, alecrim-da-terra, rosmano, rosmaninho

Família

Lamiaceae

Nome científico

Rosmarinus officinalis

Origem

Região Mediterrânica

Habitat

Litoral mediterrânico, espontâneo em charnecas e matagais

Ciclo de Vida

Perene.

O Alecrim 

O ALECRIM  é um arbusto muito ramificado, sempre verde, com hastes lenhosas, folhas pequenas e finas, opostas e lanceoladas. A parte superior das folhas é de cor verde-acinzentada, enquanto a inferior é quase prateada. As flores reúnem-se em espigas terminais e são de cor azul ou esbranquiçada.
Toda a planta exala um aroma forte e agradável.

alecrim

Alecrim – Propriedades

Propriedades anti-séptica (devido à cânfora), analgésica, adstringente, diaforética (induz a produção de suor) hipotensora, sedativa e nevralgias.

Entre suas propriedades farmacológicas, podemos citar que é um tónico geral da circulação sanguínea e do sistema nervoso, sendo indicado em casos de esgotamento físico e mental. Ajuda na concentração estimulando  a  circulação no cérebro e melhorando a memória; usa-se também para aliviar dores de cabeça.

As propriedades do Alecrim incluem a sua acção expectorante, anti-inflamatório, antibacteriana, digestiva, diurética, reumatismal, anti-séptica e adstringente.

A parte aérea florida é usada para combater a intranquilidade, ansiedade, agitação e insónia.

É ligeiramente diurético, estimulando as funções renais. Actua  sobre a  secreção biliar.

É digestivo, actuando contra a formação excessiva de gases e também auxiliando na  digestão de  gorduras. Promove o apetite e combate a anorexia. Esta planta é ainda utilizada em casos de perturbações digestivas (como a flatulência e digestão lenta) particularmente, quando originados por alterações hepatobiliares.

Possui ainda um efeito hepatoprotetor e uma atividade anti-inflamatória, indicado contra  afecções  reumáticas e articulares ( reumatismo e dores articulares). Externamente, estimula a circulação local e alivia as dores.

Combate a tosse, infecções urinárias e respiratórias, anti-espasmódico em problemas digestivos, calmante, hipotensor e inflamações osteoarticulares.

No couro  cabeludo, estimula a  circulação e o crescimento capilar. Tem ainda acção anti-caspa e previne a queda de cabelo. As loções hidroalcóolicas de folhas são usadas para combater a caspa, a calvície e para escurecer o cabelo. Sob a forma de pomada ou loção como adjuvante de enfermidades reumáticas, estrias e dermatites seborreicas.

Para que serve o Alecrim

O Alecrim serve para ajudar no tratamento de depressão leve, fadiga, dor de cabeça, enxaqueca, má digestão, gases, tosse, sinusite, bronquite, problemas de concentração, fortalece a memória, gastrite e úlcera estomacal, artrite, artrose, reumatismo, cistite, menstruação irregular, cólica menstrual e tensão pré-menstrual (TPM).

Preferências de cultivo

O alecrim prefere clima subtropical, mas pode ser cultivado em várias condições de clima e temperatura. Exposição solar, temperaturas elevadas e solos alcalinos. Se a planta estiver em solos calcários tende a ser mais aromática, tolera exposição marítima e solos secos. Resistente até temperaturas a rondar os -15ºC, portanto deve ser protegida no inverno. Tolerante à poda, a planta consegue renascer dos ramos mais envelhecidos.

Luminosidade

O alecrim deve receber luz solar direta ao menos por algumas horas diariamente.

Solo

O solo deve ser bem drenado e leve. A planta cresce melhor em solos calcários de pH neutro ou pH levemente alcalino (pH 7 a 7,8), mas é tolerante quanto ao pH e o tipo de solo. O alecrim tem mais aroma e sabor quando cultivado em solos pobres em nutrientes, e que não retêm muito a água.

Irrigação

Irrigue com frequência para que o solo seja mantido levemente úmido enquanto as plantas são jovens. Quando as plantas estiverem bem desenvolvidas, a irrigação deve ser esparsa, permitindo que o solo seque levemente entre as irrigações. O alecrim é bastante resistente a períodos de seca.

Forma de propagação

Sementeira – as sementes amadurecem entre agosto e outubro e devem ser semeadas na primavera, pode ainda fazer estacas caulinares e transplantar no outono ou na primavera.

Plantio

O alecrim pode ser cultivado a partir de sementes ou por estaquia. As sementes podem ser plantadas em sementeiras, pequenos vasos e outros contêineres. A germinação das sementes pode ser demorada e as plantas podem levar até três anos para se tornarem completamente desenvolvidas. As mudas de alecrim são transplantadas quando têm de 15 a 20 cm de altura.

O plantio por estaquia é feito cortando ramos com cerca de 15 cm de comprimento. Plante os ramos em vasos ou outros recipientes, deixados em local bem iluminado, mas sem luz solar direta. O solo deve ser mantido bem úmido até o enraizamento, que leva de três a quatro semanas. Após o enraizamento as mudas devem receber luz solar direta. As mudas são transplantadas para o local definitivo cerca de um ano depois em regiões onde o inverno é frio, mas podem ser transplantadas cerca de 1 ou dois meses após o enraizamento das mudas em regiões onde o inverno é ameno. As plantas jovens não devem ficar expostas a temperaturas muito baixas em seu primeiro ano de vida.

O espaçamento entre as plantas pode ser geralmente de 80 cm, mas pode variar com o cultivar e as condições de cultivo.

O alecrim pode ser cultivado em jardineiras e vasos de tamanho médio ou grande, mas geralmente não se desenvolve tanto quanto os cultivados no solo.

Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.

Colheita

A colheita do alecrim para uso doméstico pode começar a partir de 90 dias após o plantio. Contudo, o ideal é que a colheita ocorra apenas a partir do segundo ou terceiro ano de cultivo, retirando-se no máximo metade dos ramos para não prejudicar muito as plantas.

O alecrim é uma planta perene e pode produzir bem por mais de dez anos.

Características ornamentais

Floração de março a outubro.

Descrição dos cheiros e sabores

Aroma balsâmico e a cânfora.

Condimentar

Aromatizar pratos de carne, queijos, etc. Fortemente aromático, quente e apimentado, com notas de pinho e cânfora, o alecrim tem um sabor pouco discreto. Use-o nos assados e marinadas, mas atreva-se também a usa-lo em pães e na doçaria. Combine com hortelã, segurelha, salva, tomilho ou orégãos.

Contra-indicações/ Efeitos secundários /Observações:

Não é recomendado para grávidas ou mulheres em lactação, crianças com idade inferior a 6 anos, assim como doenças neurológicas acompanhadas de tremores ou convulsões.

Em doses elevadas pode provocar irritações gastrointestinal, nefrite, intoxicação, irritações na pele, síndrome do cólon irritável, doenças inflamatórias do intestino.

O Alecrim está contra indicado para grávidas e mulheres amamentado, assim como crianças.

Os efeitos colaterais do Alecrim incluem reacções alérgicas, quando consumido em excesso.

Pragas e doenças, como combater

Não são conhecidos

Como e quando se faz a colheita e/ou poda e quais as partes utilizadas. Quantos cortes por ano?

Partes utilizadas: folhas

Se pode ser usada em consociação (repelente/atraente) ou se é biopesticida.

Plantado junto de plantas que são atacadas por alídios protege-os destes.

Os ramos de alecrim frescos colocados entre roupa evitam as traças.

Aplicações Culinárias:

O Alecrim combina na perfeição com carne de porco e aves, em assados de peixe, de carneiro, cabrito e vitela, em batatas assadas e linguiças.
Pode ser utilizado ainda em molhos e grelhados. De sabor fresco e doce, é recomendado no preparo de carnes, principalmente porco e carneiro, e de batatas e manteigas aromatizadas. Os seus raminhos são também muito decorativos.

Curiosidades

Usado na apicultura.

Originário do mediterrâneo, o alecrim é símbolo da fertilidade e, na Idade Média, era usado para purificar o quarto de doentes. Como seu odor é estimulante, os estudantes gregos usavam ramos nos cabelos para alertar a memória durante os exames.

 

Fontes:

http://www.aromaticasvivas.com/pt/ervas-aromaticas-vivas.aspx

http://www.tuasaude.com/alecrim/

http://www.cantinhodasaromaticas.pt/loja/plantas-em-vaso-bio/alecrim-rosmarinus-officinalis-2/

http://www.hortas.info/como-plantar-alecrim

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: