Alface – Tudo sobre a Alface

alface

Alface – Tudo que sempre quis saber sobre a Alface

A Alface (Lactuca sativa) é uma hortícola anual ou bienal, utilizada na alimentação humana desde cerca de 500 a.C. Originária do Leste do Mediterrâneo, é mundialmente cultivada para o consumo em saladas, embora a alface pode ser usada na confecção de outros pratos cozinhados e em sopas. A alface tem inúmeras variedades de folhas, cores, formas, tamanhos e texturas.

A alface é consumida durante todo o ano.

Valor nutricional

Apesar do seu valor nutritivo baixo, pois o seu conteúdo em água representa 96 por cento do seu peso, a alface deve ser apreciada pelas suas qualidades dietéticas, sendo rica em vitamina A, B, B2, C e E e em sais minerais como cálcio e ferro ( mineral com importante papel no transporte de oxigénio no organismo). É rica em fibras, que auxiliam na digestão e no bom funcionamento do intestino.

Tabela Nutricional
Alface crespa, crua
Quantidade 100 gramas
Água (%) 96,1
Calorias 11 Kcal
Proteína 1,3 g
Carboidrato 1,7 g
Fibra Alimentar 1,8 g
Colesterol n/a
Lipídios 0,2 g
Cálcio 38 mg
Fósforo 26 mg
Ferro 0,4 mg
Potássio 267 mg
Sódio 3 mg
Tiamina 0,11 mg
Riboflavina 0,12 mg

Classificação científica:

Reino : Plantae

Clado : angiospérmicas

Clado : eudicotiledóneas

Ordem : Asterales

Família : Asteraceae

Género : Lactuca

Espécie : L. sativa

Nome binomial:

Lactuca sativa

Dicas Para Cultivo

A alface é um legume muito fácil de cultivar. Não gostam de tempo quente, por isso nos meados do Verão gostam de ter uma sombra parcial. Preferem um solo que retenha a humidade para evitar que sequem.

Plantar

Todo o ano.

Colheita

Depende da variedade escolhida mas pode ser feita um mês após a plantação (variedades de Verão) ou 2-3 meses (variedades de Inverno).

Rega

O solo deve ser mantido bem fresco mas não encharcado.

Pragas e Doenças mais comuns

Para combater as lesmas e caracóis colocar entre as plantas, armadilhas próprias e favorecer o aparecimento de espécies auxiliares. Para controlar as ervas daninhas e manter o solo húmido deve proceder-se ao empalhamento.

Associações/Consociações favoráveis

Beterraba, cenoura, couves, pepino, favas, morango, feijão, nabo, cebola, alho-francês, ervilha e rabanetes.

Propriedades medicinais

Na cultura popular, a alface apresenta alguns usos comuns. Possui propriedades calmantes quando feito chá de seus talos. Apresenta ainda funções de laxante (chá de folhas e talos ); antialérgico (suco); aliviante de angina de peito (chá dos talos amassados); tratamento de apoplexia (chá dos talos amassados); tratamento da artrite (sucos de folhas e talos, saladas) e redução da aterosclerose (chá dos talos).

Como os outros vegetais verdes folhosos, a alface contém ácido fólico, que atua na síntese dos neurotransmissores como a serotonina, dopamina e noradrenalina. Estes, quando em quantidade adequada em nosso cérebro, ajudam a regular as sensações de ansiedade. Além disso, a alface também ajuda na produção de aminoácidos no nosso corpo, e muitos deles atuam nesses neurotransmissores importantes para o bem-estar emocional.

Fibras que Ajudam o Intestino a Trabalhar

A alface, como a maior parte dos vegetais folhosos, é rica em fibras, que melhoram o trânsito intestinal. Uma dessas fibras é a pectina, uma fibra solúvel considerada poderosa. Ela forma um gel que, quando em contato com a água do bolo alimentar, permite que a glicose seja liberada mais lentamente, evitando picos elevados na glicemia do sangue. Isso é bom não só para prevenir e controlar diabetes do tipo 2, mas também para impedir a sensação de satisfação rápida e superficial causada pelo açúcar — que sempre termina em mais ansiedade.

Calmante Natural

A alface tem propriedade calmante, sendo capaz de tratar casos de insônia. A hortaliça ajuda as pessoas a ter um sono reparador e a controlar os acessos de histeria. Aconselha-se consumir alface à noite para dormir melhor, principalmente quando seu suco é adicionado a uma bebida quente que contenha mel.

 

Os problemas das alfaces 

  1. Pulgões-das-Raízes – desenvolvimento interrompido, folhas amarelas e murchas. Pó branco e ceroso nas raízes. Regue bem em tempo seco. Cultive variedades resistentes, como a Appia
  2. Espigamento – Só cresce o espigão da flor, não formando repolho. Deve-se a uma paragem no crescimento, a tempo quente e seco ou a variedades não adaptadas à estação
  3. Rebordos Castanhos – O rebordo das folhas fica castanho e ressequido. A causa é a evaporação demasiado rápida da água nas folhas ou a falta de calcário. Nada a fazer. O crescimento continua normalmente.
  4. Podridão-Cinzenta (Botrytis) – Apodrecimento do colo. A planta murcha completamente. Retirar.
  5. Pulgões – Folhas rugosas e amarelas. Pequenos insectos na parte inferior da folha, que segregam uma substância pegajosa. Pulverize com uma solução à base de sabão de potássio a 1,5 por cento
  6. Míldio – Manchas amarelas na parte superior das folhas e bolores brancos na inferior. Retire as folhas doentes. Desbaste o mais cedo possível. Cultive variedades resistentes.
  7. Fusariose – Caules ocos e acastanhados, que começam a apodrecer junto ao pé. Elimine as plantas doentes.
  8. Vírus-do-Mosaico – Folhas marmoreadas, com manchas amarelas entre as nervuras. O crescimento pára. Retire as folhas atingidas.

Tipos de Alface

Os valores nutricionais dos diversos tipos de alface são bastante parecidos. Conheça os tipos existentes e as principais diferenças:

Alface Crespa: rica em fibras, ajuda na digestão e no bom funcionamento do intestino, além de apresentar pequenos teores de minerais como cálcio e fósforo.

Alface Roxa: contém mais antocianina que as alfaces comuns e um teor também maior de antioxidantes, substâncias que ajudam no combate ao envelhecimento.

Alface Lisa: é a mais consumida, com folhas soltas, macias e de sabor suave.

Alface Mimosa: possui folhas com a borda bastante entrecortada, parecendo dedos de uma mão; está entre as alfaces mais delicadas.

Alface Romana: possui folhas verde-escuras, longas e crespas que formam uma cabeça de folhas soltas. É utilizada em saladas como a salada Ceasar e lanches.

Alface Americana: possui cabeça compacta. Seu valor nutritivo é inferior ao de outras variedades de alfaces e folhas. Bastante usada em lanches.

Dicas de compra

Para compra, deve-se dar preferência às de folhas limpas, de cor brilhante e sem marcas de picadas de insetos; para conservação, convém retirar as folhas machucadas e murchas e guardá-la na geladeira, embrulhada em saco plástico, onde conserva-se por cinco a sete dias. Seu período de safra é de maio a novembro.

Quadro resumo

fichadasplantas_alface

 

Ficheiro pdf disponível , aqui .

 

Fontes: http://www.plantit.pt/pt/plantas/detalhe/id/1

Guia verde das hortas e dos jardins -2ªEdição – DecoProteste

http://belezaesaude.com/alface/

http://noocity.com/pt/biblioteca?sID=663

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: